Quinta-feira, Fevereiro 29, 2024
Mais

    Artigos Recentes

    Isabel II: a paixão canina sem limites da monarca britânica

    Os monarcas britânicos sempre foram conhecidos pelo seu amor pelos cães e a paixão da Rainha Isabel II por estes era mundialmente conhecida. Como tal, estes foram parte importante do seu reinado, que durou sete décadas e chegou ao fim na passada quinta-feira (dia 8), após a morte da monarca.

    Desde criança que começou a ter contacto diário com animais de estimação e os cães da raça Corgi, raça introduzida na monarquia britânica pelo rei George VI (pai de Isabel II), marcaram imenso a vida da rainha.

    Supõe-se que Dorgi (nome resultante de um cruzamento canino), chegou à vida de Sua Majestade quando o Dachshund da Princesa Margaret (irmã da monarca), Pipkin, aproveitou uma oportunidade com Tiny, um dos Corgis da rainha. 

    Os filhotes resultantes tornaram-se tão íntimos companheiros que a criação continuou por décadas nos próprios canis da família real.

    Quando Vulcan, o último dos Dorgis da Rainha, morreu em 2020, ela decidiu não ter outros cães. Esta decisão de Isabel II foi baseada na própria idade e no facto de não poder ser tão prática com os cuidados de um novo cão quanto no passado.

    Porém, a vida sem cães da rainha não durou muito. Quando o príncipe Philip (seu marido, também já falecido) estava no hospital em março de 2021, o príncipe Andrew presenteou a mãe com um par de filhotes. 

    Fergus e Muick (batizados assim pela monarca), foram grandes companheiros de Isabel II durante a doença do seu marido e após a morte deste em abril do ano passado. Fergus partiu um mês depois, com apenas cinco meses de idade.

    O jornal The Sun relatou uma fonte que afirmou que “a rainha está absolutamente devastada. Os filhos foram trazidos para animá-la durante um período muito difícil. Todos os envolvidos estão chateados, pois isso acontece logo depois da perda do marido”.

    No dia que seria o 100º aniversário do príncipe Philip, Andrew presenteou a mãe com outro Corgi.

    “Gosto que os cães sejam inteligentes e naturalmente amigáveis”, explicou Isabel II certa vez, dizendo que “todos eles têm os seus próprios personagens e isso é parte da sua diversão.”

    Alguns dos muitos dos companheiros caninos da vida da monarca estão enterrados num um local privado em terrenos pertencentes à família real. 

    Desde então, foi anunciado que o príncipe Andrew e a sua ex-esposa, Sarah Fergusson, cuidarão de Muick e Sandy, cães da rainha que eram tratados como se fossem realeza.

    Coloque aqui o seu comentário

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Latest Posts

    spot_imgspot_img
    spot_imgspot_img

    Assine a nossa newsletter

    para ser atualizado com todas as últimas notícias, ofertas e anúncios especiais.